Total de visualizações de página

quarta-feira, 14 de março de 2012

IRMÃOS (PARTE 2)


O
s três ficam presos num engarrafamento. A mãe deles enxuga a testa com a manga da camiseta branca e preta, que a deixam vagamente semelhante a uma orca, depois começa a falar sem parar, com a desenvoltura de um locutor de futebol.


- São Pedro tinha que escolher logo hoje pra mandar essa quentura toda? MANOLO! PÁRA DE TENTAR QUEBRAR O VIDRO DO CARRO COM ESSA MULETA! E nem pense que essas ataduras e essa muleta vão te salvar dos ensaios! Amanhã, muito cedo, vai estar com o violoncelo no colo e tocando, nem que seja com a vara na boca!

- Mas... Mas... Ah, tá bom, mãe!
- Nem em sonho eu te deixaria atrapalhar minhas ambições! Mesmo se tivessem amputado seu braço, eu o encontraria e grampearia de volta no seu corpo. Nem você, nem seu irmão...
- Êpa! Quê que tem eu?- Indaga Jakson, pego de surpresa enquanto via fotos sensuais de uma de suas “minas” no celular.
- Vão escapar do recital! E pára de ver pornografia dentro do MEU carro, Jakson!

-Tá bom, mãe...
Passam-se os dias. Numa noite, Manolo, já curado de seus ferimentos e seu irmão observam do alto do palco do Citibank Hall as cadeiras vazias do auditório, a luz de spot em cima dos dois, refletindo nas lentes dos óculos do caçula e deixando-o ainda mais parecido com um extraterrestre.
- Cumprimentos de Ventania!- Manolo grita do alto do palco, fazendo eco em todo o salão- Lorde Manolo Ventania! Guerreiro do deserto! O aiatolá do rock n’ roll!
- Manéra no berreiro aí, lepra de óculos!- Jakson dá um tapa na nuca do irmão- Daqui a pouco vem um segurança e expulsa a gente daqui!
- Ah, fica na tua, mano. Não dá pra não gritar, esse salão aqui é animal! E pensar que o Apocalyptica tocou aqui quarta-feira passada...

- Chega a ser uma heresia o que tu planejou, Mad... Tá mesmo a fim de levar adiante essa idéia maluca? Se der merda, mãe vai arrancar nossas tripas pra fazer corda de violino!
- Vai amarelar agora, véio?
- Ah, sei lá. Tu já tentou fugir de casa umas dez vezes desde que voltou a morar aqui, acha que vai dar certo agora por quê?
- Ou é agora ou nunca, mano!- Manolo encara o irmão nos olhos enquanto caminha ao redor dele, como se imitasse os passos de um ninja ao andar- Tô de saco cheio de Beethoven, Franz Liszt, Vivaldi, Rossini, o circo todo! Eu quero é viver! Saber quais as reais oportunidades que esse mundão tem a oferecer! Cara... Olha pra mim! Olha pros pregos na minha cara! ISSO é cara de quem toca música clássica? Eu sou é do rock! Do metal, do punk, pô! Irmão...- Ele agarra Jakson pelo cangote, fazendo-o se agachar. O loiro é quase trinta centímetros mais alto que o irmão caçula.- Nossa hora chegou há muito tempo. Na nossa idade, muito nêgo já é casado, empregado, tem uma penca de filhos... Claro que eu não quero ter nada disso, mas tem uma coisa que eu quero ter, e muito: Liberdade. Ter um dia inteirinho pela frente, sem me preocupar com porcaria de hora ou dia. Conquistar meu direito de ser o que eu quiser, sem medo de nada! E nunca vou conseguir nada disso se continuar me submetendo àquela velhota sádica! Mas se quiser amarelar, tô nem aí. Pego a estrada sozinho!
- Tá dando esse showzinho só porque o spot tá iluminando tua testa, né? – Jakson se levanta e acende um cigarro- Mas desestressa, maninho. Sabe que eu nunca ia deixar meu irmão caçula desajuizado pegar estrada sozinho, tu ia ficar vivo só uns dois segundos. E depois, se eu ficar aqui, volto a ter nossa “estimada” mãezinha só pra mim.
- Palhaço...

Longe dali, duas mulheres dão um show de rock psicodélico num humilde palco de um salão de festas.

2 comentários:

  1. Os diálogos permanecem convincentes.

    ResponderExcluir
  2. Só de pensar nessa mãe "carrasca", morro de pena do Manolo
    que até aqui é o meu preferido.
    Beijos.

    ResponderExcluir