Total de visualizações de página

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

UMA TARDE NA VIDA DO PREFEITO(PARTE 1)


O
s braços do prefeito já estão tremendo de tanto dar tchauzinho pros cidadãos e fazer sorriso amarelo.

- Ora, Chico...- Edy põe a mão no ombro do colega de trabalho- Pensa no lado positivo da situação... Não era ocê que vivia dizendo que ia transformar a cidade num canteiro de obras? 

Todo mundo começa a rir da cara do prefeito.

- Héhéhéhé...- Chicão ri com ironia- Ele não é espirituoso, gente?
- Mas tenho de reconhecer uma coisa. Não fosse o plano genial do Marreta de moer o asfalto antigo pra reaproveitar e economizar 70% da verba da obra, a cidade terminaria de falir numas duas semanas.
- Abençoado, ele seja.

Dna. Abelzinha aparece no hall carregando um telefone sem fio.

- Patrãozinho? Minha irmã no telefone.- Graças a Deus, um alívio nesse dia horrível... Alô? Verônica?
- Oi, darling!- Do outro lado da linha, uma socialite nos seus 50 e tantos anos, com o rosto todo esticado com plásticas, cabelos loiros oxigenados penteados como um bolo de noiva, com brincos de ametista que mais parecem dois castiçais e usando rosa dos pés à cabeça, fala pelo celular de um bistrô parisiense- Teve notícias minhas?
- Não, não... Qual é a história nova? Comprou mais uma limusine rosa?
- Seu tolo... Na verdade, comprei uma, sim, mas acontece que eu vi você e a cidade aqui num noticiário francês! Quer dizer que, enfim, meu maridinho megalomaníaco conseguiu cumprir uma promessa de campanha, não foi? Bravo!

Ele escuta a mulher batendo palmas com sarcasmo e fica envergonhado, pois todos ao seu redor ouviram a provocação.

- Ehr... Não é motivo nenhum pra piada, Verônica... Tô pagando indenizações pra cidade todinha, por muito pouco não precisaremos começar com racionamentos. Tô morrendo de vergonha!
- Com razão, Francisco! Nesse caso, não vai dar pra comprar o Arco do Triunfo e colocar na entrada de São Modesto, como eu tinha pedido no aniversário de casamento, vai?
- Ehr... Depois a gente assunta sobre isso. E como anda Paris?
- Tudo as mil maravilhas... Marisi tem dado um duro danado aqui, pra entrar no mundo da alta-costura.
- Nem sei como. Ela só usa as mesmas roupas que você...
- Não fala assim da sua filha, darling! E como anda o Stanley?
- Sei lá, e nem quero saber... Desde que o ano começou eu não vejo aquele traste inútil sair do quarto, nem pra ir ao banheiro.
- DOBRA A LÍNGUA PRA FALAR DO MEU MENINO!
- Menino?- Chicão se exalta- Verônica, ele tem 30 anos! Olha, Verônica. Agora o céu tá caindo em cima de mim. Quando tudo acabar, eu te ligo de novo, tá legal?
- Tá bem...
- Foi muito bom te ouvir de novo, meu amor. Beijão!
- Outro, darling! Adieu!

Chicão desliga o telefone e o devolve para sua secretária.

- Bendita hora que eu entrei naquele prostíbulo...  Dá pra acreditar, seu Edy da marcenaria? A besteira que eu fiz apareceu num noticiário lá na Europa!
- Viu só? Ocê sempre disse que colocaria São Modesto na boca do mundo...
- Ah, deixa eu voltar a fazer sorriso amarelo em paz!

Tempos depois, Chicão dá uma pausa em suas formalidades.

- Como é difícil a vida de um homem do povo...

Já afrouxando a gravata e desabotoando o terno, ele abre a porta do gabinete e toma um tremendo susto ao se deparar com um sujeito gordão de cabelos loiros desmazelados, usando uma camisa velha do Atlético Mineiro, shorts de lavar carro no fim de semana e óculos fundo-de-garrafa, deitado no sofá e fumando charuto.

- Puxa, ocê tá com os nervos abalados hem, Chico? Adorei esse charuto hondurenho, coisa fina!
- Que diabos, Ronald! Como é que você conseguiu entrar aqui?
- Irmão de Verônica e Abel, né, Chico? Tudo que eu peço, ela faz.
- E a que devo essa, por assim dizer, tão desejada companhia? Qual é a rotina do pidão dessa vez?
- Ora...- O enorme encostado se levanta do sofá e caminha lentamente em direção ao prefeito, com cara de sério- A mesma coisa que eu sempre peço quando te vejo, Chico...

De repente, ele se atira aos pés do prefeito e começa a espernear.

- ME ARRUMA UMA BOQUINHA AQUI NA PREFEITURA, PELO AMOR DE DEUS! EU TÔ DESEMPREGADO FAZ UM ANO, A CAMBADA DE COBRADOR E AGIOTA DO MEU PÉ! OCÊ PRECISA ME DAR UMA FORÇA, SÔ! ATÉ PRA LIMPAR SEU SAPATO COM A LÍNGUA EU ACEITO, POR FAVOR, POR FAVOR, POR FAVOR, POR FAVOR!!
- Ainda desempregado, Ronald? Que vergonha... Levanta daí, homem!

Dá um chute na cara dele, que cai sentado no chão.

- As coisas que eu tenho que suportar... Se você não fosse o irmão caçula da minha mulher, eu juro que te jogava pela varanda sem nem piscar! Por acaso não viu a merda que eu fiz com a cidade, seu idiota? E você ainda invade meu gabinete só pra me aporrinhar e pedir dinheiro? Tenha dó!
- E que culpa eu tenho se ocê explodiu a cidade? Por favor, Chico, me dá só uma chance! Eu topo qualquer parada!

O cunhado do prefeito torna a se ajoelhar diante dele e começa a lamber seus sapatos.

- Terminou?- Chico pega o telefone, enojado- Tijolada? No meu gabinete, por favor.
- Só uma chancezinha de nada, pelo amor de Deus, Chicão!
- Sai do meu couro, carrapato! Levanta daí!

O segurança, um tremendo negão de terno e gravata, com um cassetete na mão, entra no gabinete.

- Pois não, prefeito?
- Arrasta esse batráquio pra fora da prefeitura, e se ele tentar entrar de novo...

Ronald se apavora com a altura e os braços enormes do segurança.

-... Seja criativo.

Ele o arrasta pra fora da sala pelo pé, e Ronald sai berrando e choramingando.

- Sujeitinho imprestável...


2 comentários:

  1. Me recuso a quebrar teu galho, pois vc não precisa, tem talento de sobra e está escrevendo cada vez melhor, infelizmente amigo, o pessoal tem curtido mais essas mensagens virais que não acrescentam nada, fazer o quê?
    Não desista, não vê o Pedro, que embora não tenha a resposta que gostaria, jamais desiste! Calma amigo não se amofine, tudo tem seu tempo e o tempo de Fernando Yanmar está pra chegar! tenha fé. Beijos

    ResponderExcluir
  2. Achei incoerente o filho do casal ter 35 anos e o mesmo fará Bodas de Prata, que são 25 anos de matrimônio. Exagerados sim, porém continuam engraçados.

    ResponderExcluir